4 lições de marketing para aprender com o Google Glass

Pesquisa qualitativa: Por que usar?
10 de agosto de 2016
3 formas de usar Insights para inovação
17 de agosto de 2016
Ver todos

Quando o gigante Google anunciou que tinha desenvolvido um dispositivo que coloca um computador na frente dos olhos dos seus usuários, o mundo inteiro ficou maravilhado. O Google Glass foi, e é, uma realização tecnológica das mais impressionantes.

No momento em que o produto foi revelado, muitas pessoas o viram com um imenso potencial. Com ele você poderia filmar qualquer coisa que estivesse vendo, poderia ter um mapa na sua frente quando fosse para qualquer lugar, poderia ter um computador e internet prontos a qualquer momento, levando sua experiência de vida a um nível completamente novo.

Mas o que aconteceu com o Google Glass?

Há um tempo atrás, o Google divulgou que estava retirando o produto de volta para o laboratório. Ou seja, o produto com a roupagem atual não está mais no mercado.

O Google Glass não apenas não se popularizou, ele foi um fracasso de vendas monumental, mesmo no evento de pré-lançamento.

A pergunta que não quer calar entre os entusiastas da inovação é: Por que?

Por que não haviam longas filas prontas para pagar algo em torno de $1500 para ter esse dispositivo incrível?

As respostas são simples. E qualquer um de nós que desejamos vender nossos próprios produtos com sucesso devemos prestar atenção às importantes lições que o fracasso do Google Glass pode nos ensinar.

1- Não houve um lançamento real do produto

O lançamento do produto também foi feito de uma forma nova. As primeiras amostras do Google Glass foram dadas para algumas celebridades e eles deixaram que elas próprias fizessem a propaganda do produto.

Esse formato até que funcionou brilhantemente em alguns aspectos. Mas, seguindo essa estratégia, o Google deixou a bola cair em alguns aspectos fundamentais e obrigatórios do marketing relacionado a lançamento de produtos. O primeiro passo para qualquer produto novo a ser lançado, uma vez que já tenha sido anunciado publicamente, deve ser a divulgação de uma data para que o produto possa começar a ser comprado. E isso nunca aconteceu com o Glass. Para mostrar o produto e construir o desejo de compra, você precisa ter um dia específico para que o público possa comprar ele. Assim, você pode lidar melhor com as expectativas do público.

Se o Google Glass estabeleceu uma data assim, ela foi muito pouco divulgada. A Apple, claro, não deixaria que isso acontecesse.

2- Não houve uma campanha de publicidade Mainstream

Se você procura lançar um produto global, a melhor forma de fazer isso é através do bom e velho anúncio publicitário. Fazer um bom pré-lançamento é legal sim, mas o seu público nunca estará totalmente dentro da mensagem se você não difundir de forma eficiente essa mensagem. Se você quer construir uma percepção pública com suas especificações, ajuda muito usar mídia paga para expor seus pontos principais da forma mais clara possível.

O Google provavelmente gastou centenas de milhares de dólares desenvolvendo os óculos. Portanto, não seria um problema gastar pelo menos $10 milhões divulgando o produto. Ao invés disso, eles deixaram toda a responsabilidade com seu departamento de relações públicas e logo perderam o controle dos principais benefícios oferecidos pela comunicação.

3- Não se explicou claramente por que o produto era fabuloso

Para divulgar qualquer produto ou serviço totalmente novos, as empresas devem ser muito claras ao comunicar ao público sobre porque este produto é ótimo. Os principais benefícios devem ser soletrados – e não mais do que três pontos chaves devem ser enfatizados várias e várias vezes.

Se você tenta dizer muito sobre o produto ou não traz argumentos claros para a sua publicidade, deve esperar que o seu produto não seja um sucesso total de vendas. Um dos problemas do Glass foi chegar com grande alarde, mas sem deixar claro como as pessoas realmente poderiam usar o produto.

4- Não houve uma forma fácil para comprá-lo

Para promover uma inovação, pode ser até legal lança-la e não a ter inicialmente disponível para compra. Mas, depois de alguns meses, você deve distribuir o produto através de lojas físicas ou internet. Caso contrário, você perde o barulho do lançamento e, em seguida, quando o produto é finalmente introduzido nas lojas, essa energia já foi perdida. Além de ter perdido o entusiasmo dos possíveis compradores.

E o Google passou muito tempo nos provocando. Então a curiosidade que todos tinham com os óculos foi diminuindo, e acabou sendo tarde demais. O novo produto teve sua curva ascendente e, em seguida, passou a ser apenas uma esquisitice que já não vem mais ganhando muito espaço nas notícias sobre inovação.

Lições que todos devemos aprender com isso.

Os ensinamentos para todas as empresas e empresários que pretendem para lançar um produto são as seguintes:

É muito bom fazer lançamentos barulhentos, como o Google fez com o Glass, mas eles devem ser acompanhados por campanhas publicitárias muito bem elaboradas. Em seguida, você deve expor os benefícios de usar o seu produto de forma muito clara. Finalmente, não esqueça de liberar o produto para compra de forma rápida e ampla em lojas próprias e distribuidoras, para aproveitar o hype do momento.

Mesmo com os erros do marketing, nós acreditamos que o Google possa ter mais sucesso com o relançamento do Glass. Porque a intenção do Google de ser mais do que um buscador e patrocinar projetos para ajudar o mundo, é algo realmente maravilhoso e inspirador. Os óculos são apenas os primeiros de uma infinidade de produtos excitantes que em breve sairão do laboratório Google X. Esta é uma empresa com objetivos poderosos e com uma capacidade genuína de mudar o mundo muitas vezes. Com certeza é uma grande inspiração para todos nós.

Baseado em um texto publicado pela Forbes.