25 melhores cidades para mulheres empreendedoras
4 de julho de 2016
Pesquisa: Intensificação da lei seca apresenta números positivos
12 de julho de 2016
Ver todos

Como realmente é, pensa e age o Growth Hacker?

Após a publicação do nosso artigo sobre o Growth Hacking, muitas pessoas entraram em contato com a gente pedindo mais informações sobre essa nova forma de pensar o negócio. Um dos questionamentos feitos dizia respeito às características de um Growth Hacker. Como eles são e quais das suas atitudes os diferem dos demais profissionais. Então separamos uma lista com as principais qualidades presentes no perfil dessa nova especialidade.

1 – O Growth Hacker não precisa ser programador

Um dos grandes mitos que cercam o Growth Hacker é o de que ele precisa ser um programador. O que não é necessariamente verdade. É muito importante que esse profissional saiba o básico de programação (até mesmo para avaliar a viabilidade das suas ideias) e que exista pelo menos um programador no time. A situação mais comum em lugares que adotaram o Growth Hacking, é de cargos que não são tão bem definidos pela formação. Então, geralmente é preciso que todo o time responsável pelo crescimento das vendas entenda muito bem todo o trabalho da equipe de forma geral. Ou seja, o trabalho é muito mais convergente do que especializado. Portanto, é desejável que todos tenham um conhecimento geral sobre várias áreas, como veremos.

2 – O Growth Hacker pode ser formado como um profissional de marketing

Como o Growth Hacking vem surgindo como uma forma de crítica à maneira de pensar do marketing tradicional, muitos pensam que existe uma grande rixa entre os dois. O que não é necessariamente verdade. O trabalho do Growth Hacker, mesmo com todas as divergências, é semelhante ao do antigo profissional de marketing. Inclusive, em algumas empresas o Growth Hacker ainda possui o cargo delimitado com o nome marketing. O que muda é a forma de repensar os conceitos tradicionais e o foco dessa pessoa na empresa. Ou seja, o Growth Hacker não é um inimigo do marqueteiro tradicional, e pode, inclusive, ser um profissional formado em áreas relacionadas ao marketing tranquilamente.

3 – O Growth Hacker não é obrigatoriamente antiético

Quando se fala sobre foco em crescimento, muitas pessoas imaginam uma pessoa inescrupulosa capaz de qualquer coisa para fazer a empresa crescer, inclusive prejudicar outras pessoas. Existem alguns profissionais que agem dessa maneira sim. Mas estão muito longe de representar uma maioria. O crescimento do Growth Hacking tem uma ligação mais forte com a criatividade e com ideias novas que permitem que as empresas aumentem suas vendas, do que com a ideia competitiva tradicional que conhecemos.

4 – O Growth Hacker é extremamente analítico

Para o Growth Hacker, as estatísticas são extremamente importantes. Porque determinam toda a avaliação e a sequência do trabalho. Com as novas ferramentas da web, o monitoramento do resultado das ações se tornou muito mais simples. Atualmente quase tudo pode ser mensurado e analisado. Dessa forma, as estatísticas possibilitam que o Growth Hacker observe quais das suas atividades estão oferecendo um melhor resultado para a organização. Assim pode planejar melhor suas futuras ações e entender o comportamento do consumidor para melhorar os resultados da empresa.

5 – O Growth Hacker deve ter conhecimentos múltiplos

Os conhecimentos que o Growth Hacker tem devem permear diversas esferas, porque ele deve ser capaz de realizar e repensar diversas atividades. Geralmente, os profissionais têm uma formação específica em apenas uma área do conhecimento. Alguns são psicólogos, outros são advogados, outros são engenheiros, e por aí vai. Não existe um problema se o Growth Hacker tiver uma certa formação, nem mesmo se ela for bem tradicional. Mas é preciso que ele tenha também um conhecimento genérico nas outras áreas que podem influenciar o crescimento da empresa. Então, quanto maior a variedade do conhecimento do Growth Hacker, mais ele tem chances de ser bem-sucedido em suas atividades.

6 – O Growth Hacker é muito curioso e criativo

Um Growth Hacker precisa estar sempre pensando em ideias que podem aumentar o crescimento da empresa. Ou seja, é uma pessoa que precisa estar em contato com a criatividade de forma ativa, e precisa ser curioso para buscar novos conhecimentos para encontrar a melhor solução para o crescimento da empresa. Além disso, é importante que o profissional saiba também aproveitar as ideias que tem, sem ter medo de usar ideias que possam ser consideradas ruins ou até bobas. Pois muitas vezes essas são as ideias que funcionam.

7 – O Growth Hacker é obsessivo

Pensar em crescimento todo o tempo faz com que a maioria dos Growth Hackers se tornem um pouco obsessivos com seus resultados. Por conta disso, esses profissionais não desistem de buscar a solução perfeita para os produtos da organização. O que é muito importante no desenvolvimento das suas atividades. Já que a ideia de ouro geralmente não está entre as primeiras, e o sucesso da empresa precisa se manter mesmo que ela tenha tido um boom de crescimento. Então, o pensamento do Growth Hacker deve ser focado e contínuo. O que é gera uma espécie de obsessão.

 

Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Escreve aqui pra gente!

Para mais conteúdos como esse, nos siga no Facebook e Twitter!

Confira também os artigos sobre Como construir um Funil de vendas e as 25 melhores cidades para mulheres empreendedoras.