Coronavírus e mudanças de comportamentos: o que isso significa para as marcas?

5 tendências que moldarão a pesquisa de mercado em 2020
6 de fevereiro de 2020
O papel do consumer insights na era do COVID-19
2 de junho de 2020
Ver todos

Coronavírus e mudanças de comportamentos: o que isso significa para as marcas?

Esse artigo é uma adaptação. O artigo original pode ser encontrado aqui

 

A velocidade de disseminação global do Coronavírus (COVID-19) está provocando uma enorme mudança nos comportamentos das pessoas, como a compra em massa de materiais para proteção (álcool em gel e máscaras) ou o auto-isolamento. O vírus levou nosso ambiente a alterações repentinas e sem padrões previsíveis. Com essas mudanças nos comportamentos do consumidor, como as marcas podem permanecer relevantes?

A crise do Coronavírus expõe uma necessidade de as marcas serem flexíveis e se adaptarem às mudanças. Quando o contexto e o padrão em que as pessoas vivem mudam, as marcas devem se perguntar: como posso agregar valor considerando essa nova realidade?

MOSTRAR EMPATIA / DAR CONFORTO: A Louis Vuitton por exemplo postou uma mensagem sincera aos clientes chineses nas mídias sociais plataformas como WeChat e Weibo: “Toda jornada pausada será eventualmente reinicie. Louis Vuitton espera que você e seu amado aqueles ficam seguros e saudáveis. ”Esta mensagem de tom apropriado
se encaixa em uma marca posicionada como fornecedora de malas finas.

AJUDAR AS PESSOAS A UTILIZAR O TEMPO E CONSTRUIR NOVAS ROTINAS EM CASA: Este é um território inspirador, pois as marcas podem procurar ajudar as pessoas a fazer bom uso do tempo que gastam em casa – e impulsionam a internalização de novos hábitos, ajudando-os a se sentirem bem com a maneira como o tempo é
gasto. Com muitos adotando novos comportamentos em casa, construindo associações / identidades positivas em torno dessas novas rotinas comportamentos ajudarão a criar motivação para encená-los.

VAI VIRTUAL: Esperamos ver uma nova mudança para alternativas virtuais . Na China, as vendas de carros on-line aumentaram no primeiro semanas da crise,  vemos também muitas reuniões e exposições profissionais sendo realizadas virtualmente; assim como muitos museus começaram a criar um experiência on-line, criando salas virtuais onde a arte é sendo mostrada. Shows e Festivais sendo criados e transmitidos em plataformas como Instagram e Twitter através de Lives, são saídas tecnológicas  que a depender do segmento podem ser soluções de manter a rotina e espantar a solidão.

APRENDA COM O  ÚLTIMO ‘NOVO NORMAL’: a história fornece evidência de que as marcas podem crescer em tempos difíceis. São alguns exemplos duradouros da Grande Recessão, onde marcas como Netflix, Lego, Amazon e Domino’s corajosamente expandiram seus horizontes através de investimentos / inovação, atendimento ao cliente, modelos alternativos de preços, e transparência nas comunicações. Embora muitos de seus concorrentes pararam de se comunicar ou se mantiveram firmes modelos de negócios, essas marcas buscavam consumidores na
maneira correta e valor agregado em um momento de fluidez contextual e mudança de comportamento

Em resumo é necessário evitar oportunismo e agir de maneira empática e genuína, e assim segui com alguns aprendizados sobre como as marcas podem desempenhar papéis aprimorados na vida das pessoas nesse cenário tão conturbado.


Tem alguma dúvida, comentário? Quer saber mais sobre nossos produtos?Podemos te ajudar! Entre em contato conosco através do e-mail contact@ecmetrics.com    

Leia também artigos sobre Repensar a experiência do cliente para impulsionar o crescimento da marca e Como os pesquisadores de marketing podem se preparar para um futuro de IA.

Para mais conteúdo, siga-nos nas redes sociais:

Twitter  Facebook  LinkedIn