Outubro Rosa melhora a imagem da marca de empresas
10 de novembro de 2016
Milk Shake de Ovomaltine do Mcdonald´s … E agora?
25 de novembro de 2016
Ver todos

Mais de 75% dos eleitores que votaram em Dilma em 2014, votaram em outros partidos ou em nulo/branco/abstenção em 2016 para prefeitos, aponta Pesquisa eCMetrics.

 

São Paulo 22/11/2016

Durante as eleições de 2016 para prefeitos em todo o Brasil, algo chamou bastante atenção, foram as altas abstenção, votos nulos e brancos, indicando um alto índice de rejeição ao sistema político e aos partidos, especialmente ao PT.

A eCMetrics perguntou aos internautas brasileiros em que partidos votaram e, para os que não votaram, quais as principais razões para não terem votado nas eleições de 2016.

Boa parte dos eleitores não votaram, pois estão desiludidos com a política: não confiam em nenhum político ou partido, além disso, acham que nenhum político presta ou não possuem mais confiança nos partidos políticos.

Segundo a pesquisa, os eleitores que votaram nulo/branco/abstenção nas eleições de 2014 e 2016 são, em sua maioria, pertencentes à classe social A e possuem maior escolaridade. Além disso, foi observado que os mais jovens tendem a não votar, enquanto os mais velhos votam em branco.

Para os eleitores que votaram na ex-presidente Dilma 2014 e anularam o voto nos dois turnos em 2016 foram os eleitores que acompanharam muito as eleições e se consideraram bem informadas sobre as propostas dos candidatos e não votaram porque não gostaram das propostas apresentadas ou dos candidatos que estavam concorrendo.

Perguntamos também para onde foram os votos da Dilma em 2016: 23% continuaram votando no PT, mas uma parte mudou a preferência para os outros partidos, como: PSDB (13%), PMDB (12%) e 21% votaram nulo ou em branco, e o restante dispersou para outros partidos

Para a visualização mais detalhada da pesquisa sobre as eleições de 2016 para prefeito, as análises estão disponíveis no infográfico logo abaixo.

A pesquisada foi realizada pela eCMetrics utilizando o painel online e mobile da eCGlobal com 1300 internautas entre os dias 1 e 4 de novembro. A margem de erro foi de 2,72%.

 

infografia-v4