Pesquisa Híbrida: Combinando Métodos Qualitativos e Quantitativos
24 de maio de 2018
Ver todos

Usando Big Data para aumentar sua marca 

Esse artigo foi traduzido e adaptado. O original pode ser encontrado aqui 

Há muitos desafios que as empresas enfrentam quando se trata de aumentar sua marca. Identificar oportunidades que proporcionam a melhor chance de crescimento e entender sua atual posição no mercado e o quanto elas podem crescer são duas delas. E manter ou criar mensagens relevantes, sabendo a quem ir atrás para obter esse crescimento – e como fazer isso de forma eficaz – é um desafio tão grande quanto esse. 

Embora a pesquisa de mercado seja frequentemente usada para abordar esses problemas, ela geralmente cobre o porquê e o quê. O Big Data, por outro lado, adiciona uma camada adicional de compreensão em torno de quem e como. Como resultado, descobrimos que a combinação de dados de pesquisa com big data pode fornecer um nível mais profundo de compreensão do público e a capacidade de vincular essas percepções a uma estratégia de comunicação ou publicidade. Além disso, essa abordagem é escalável e ágil por natureza; Ele não exige várias fases ou estudos, mas aproveita a Big Data para preencher as lacunas na pesquisa de pesquisa para criar um resultado coeso e acionável. 

Identificando e Entendendo Oportunidades 

A maior parte da identificação de oportunidades é garantir que seja a oportunidade certa. Por fim, isso é feito por meio do entendimento do público e da categoria de uma marca juntos. Mais uma vez, dados de big data e pesquisa podem trabalhar juntos para resolver essa necessidade. Os dados de uma plataforma de gerenciamento de dados podem ser anexados aos dados de pesquisa para construir a conexão entre público e categoria. 

Em outras palavras, os dados da pesquisa podem fornecer informações sobre as preferências do consumidor quando se trata de um produto específico, enquanto os dados grandes podem fornecer o comportamento de compra real de toda a categoria do produto. Com esse tipo de abordagem, as marcas podem conduzir pesquisas com objetivos específicos em mente, mas ainda assim obter percepções de nível mais alto para entender onde suas descobertas se encaixam no mercado. 

Além disso, a capacidade de extrair insights de nível de audiência e de categoria permite que uma marca saiba o que, quem e quanto buscar após o crescimento da marca. Por exemplo, nossa solução de big data é capaz de derivar o valor da marca (de dados de pesquisa) de várias marcas e compará-la à participação de mercado real (de big data) para entender qual segmento ou segmentos de público buscar e quanta participação de mercado disponível para crescimento entre esses segmentos. 

Os benefícios de incorporar big data e dados de pesquisa no nível comercial têm efeitos de longo alcance: 

  • Muitas vezes, as empresas sabem quais são seus objetivos ou onde precisam, mas não têm meios de descobrir como chegar lá – ou o processo é complexo demais, demorado ou dispendioso. 
  • Uma abordagem com big data também pode mostrar uma imagem mais completa de como aplicar melhor as percepções; elimina a necessidade de realizar estudos adicionais, na maioria dos casos, para obter entendimento suficiente para avançar com uma estratégia com confiança. 
  • As segmentações tradicionais são incapazes de fornecer essa visão coesa, especialmente em um estudo, pois elas normalmente incorporam feedback auto relatado específico para o público de uma única marca. 

Usar dados grandes com dados de pesquisa não é apenas identificar e compreender oportunidades. Às vezes, é uma maneira de avaliar oportunidades e minimizar o risco de fazer suposições com base em insights que podem estar contando apenas metade da história do consumidor, especialmente quando se trata de mensagens. 

 


Tem alguma dúvida, comentário? Podemos te ajudar!  Entre em contato conosco através do e-mail contact@ecmetrics.com   

Leia também artigos sobre O renascimento da pesquisa qualitativa  e Como a Internet das coisas está mudando.

Para mais conteúdo, siga-nos nas redes sociais:

Twitter  Facebook  LinkedIn